Epidemia de miopia: como o novo coronavírus contribuiu.

Blog Banner Eyecare

Há quase dois anos, vivemos o que considerávamos ser possível apenas em livros de ficção, uma pandemia causada por um vírus mortal e que teve impactos em todas as esferas de nossas vidas. O vírus SARS-CoV-2, causador da COVID-19, leva primariamente à infecção do trato respiratório, entretanto, os impactos sobre nossa saúde vão além. Você já se perguntou quais os impactos da COVID 19 sobre nossa saúde visual?

“Por que foi que cegamos, Não sei, talvez um dia se chegue a conhecer a razão, Queres que te diga o que penso, Diz, Penso que não cegamos, penso que estamos cegos, Cegos que veem, Cegos que, vendo, não veem” José Saramago, ensaio sobre a cegueira.

O livro ensaio sobre a cegueira de José Saramago trata sobre uma epidemia de cegueira que rapidamente se torna uma pandemia. Apesar dos esforços de governantes para contê-la, o mundo se torna cego, trazendo à tona as mazelas da sociedade. A cegueira branca é uma alegoria utilizada por José Saramago para criticar a alienação, a falta de visão política e social frente à realidade.

O vírus também leva a um estado pró-trombótico, favorecendo a ocorrência de oclusões vasculares retinianas que podem levar à diminuição ou perda da visão.

Há relatos de que no início da infecção, alguns pacientes apresentem conjuntivite e/ou congestão conjuntival como primeira manifestação. O vírus também leva a um estado pró-trombótico, favorecendo a ocorrência de oclusões vasculares retinianas que podem levar à diminuição ou perda da visão.

No entanto, muitos especialistas têm se preocupado com os efeitos da pandemia sobre a visão das pessoas, especialmente as crianças. Com o distanciamento social e a necessidade de permanecer mais tempo dentro de casa, o uso de celulares, tablets e computadores aumentou. Como resultado desse excesso do uso de telas, houve um aumento das queixas de cansaço visual, também chamada de astenopia, que ocorre devido ao esforço para manter a acomodação.

As alterações de superfície ocular, principalmente o olho seco, também têm sido uma queixa constante nos consultórios oftalmológicos. Quando ficamos muito tempo em frente às telas, piscamos muito menos, propiciando o ressecamento da superfície ocular. As queixas mais comuns no consultório são de sensação de areia nos olhos, dor e embaçamento visual.

Estudos científicos revelam que estamos vivendo uma “epidemia de miopia”, principalmente entre crianças que já apresentam predisposição a essa condição. Isso tem acontecido por conta dos longos períodos de estudo e trabalho com leituras a curtas distâncias.

Estudos científicos revelam que estamos vivendo uma “epidemia de miopia”, principalmente entre crianças que já apresentam predisposição a essa condição. Isso tem acontecido por conta dos longos períodos de estudo e trabalho com leituras a curtas distâncias.

Medidas preventivas devem ser adotadas, principalmente em crianças que apresentam elevado risco para miopia, como aquelas com pais ou irmãos míopes, hipermetropia menor do que a esperada para a idade quando examinadas sob cicloplegia, tempos de leitura e uso de telas excessivos.

Banner Beneficio Visão

Para evitar os sintomas relacionados ao cansaço visual, recomenda-se utilizar a regra do 20-20-20, ou seja, a cada 20 minutos de leitura ou uso de telas, deve-se olhar por 20 segundos para uma distância de 20 pés, que equivale a aproximadamente 6 metros. Costumo recomendar aos meus pacientes que olhem pela janela, para o horizonte, por 20 segundos ou mais.

Os sintomas de olho seco podem ser prevenidos tanto com o uso de colírios lubrificantes, ao menos 4 vezes ao dia, quanto pelo ato de piscar voluntariamente, fechando completamente os olhos, várias vezes ao dia. Caso os sintomas persistam ou haja dor importante, é sempre necessário consultar o seu oftalmologista de confiança para avaliação cuidadosa da superfície ocular.

Em relação à miopização, principalmente em crianças, é importante passar por avaliação oftalmológica. As diretrizes recomendam que seja realizada a documentação do comprimento axial ocular por meio de biometria, e acompanhamento regular dos pacientes com maior predisposição para o desenvolvimento de miopia.

Atividades em ambientes externos e a exposição à luz natural são fatores considerados protetores da miopia e sua progressão5,6. Em períodos de lockdown e distanciamento social, algumas alternativas podem ser implementadas como a exposição a luz solar por pelo menos 1 hora por dia em terraços, varandas ou garagens.

Em tempos de educação e trabalho virtuais, o termo higiene visual torna-se cada vez mais frequente.

Em tempos de educação e trabalho virtuais, o termo higiene visual torna-se cada vez mais frequente. Trata-se de intervalos de 15 minutos a cada 1 hora de leitura contínua, manter uma distância de pelo menos 1 braço entre os olhos e os livros ou telas, ler preferivelmente sob luz natural e com adequada iluminação; usar telas maiores, com imagens e letras aumentadas (podemos usar o dobro da acuidade visual) e com boa resolução e estimular o ato de piscar voluntariamente durante toda a leitura.

Não existe evidência substancial que recomende os filtros de luz azul, entretanto, algumas pessoas sentem-se mais confortáveis ao utilizá-los. Essas são algumas estratégias para reduzir o desconforto e promover a saúde ocular em tempos de pandemia. Mas lembre-se da importância de ter um oftalmologista para chamar de seu. Somente ele poderá diagnosticar e tratar com precisão condições oftalmológicas. Cuide da saúde dos seus olhos e daqueles que você ama. Procure-nos na clínica de olhos e agende uma consulta com um de nossos oftalmologistas.

Referências Bibliográficas
1) Daruich A, Martin D & Bremond‐Gignac D. Ocular manifestation as first sign of Coronavirus Disease 2019 (COVID‐19): interest of telemedicine during the pandemic context. J Fr Ophtalmol 2020; 43: 389–391.
2) Hussaindeen JR, Gopalakrishnan A, Sivaraman V, Swaminathan M. Managing the myopia epidemic and digital eye strain post COVID-19 pandemic – What eye care practitioners need to know and implement? Indian J Ophthalmol 2020;68:1710-2.
3) Huang HM, Chang DS, Wu PC. The association between near work activities and myopia in children‐a systematic review and meta‐analysis. PLoS One 2015;10:e0140419.
4) Morgan IG, French AN, Rose KA. Risk Factors for Myopia: Putting Causal Pathways into a Social Context. InUpdates on Myopia 2020 (pp. 133‐170). Springer, Singapore.
5) XiongS,SankaridurgP,NaduvilathT,ZangJ,ZouH,ZhuJ,etal. Time spent in outdoor activities in relation to myopia prevention and control: A meta‐analysis and systematic review. Acta Ophthalmol 2017;95:551‐66.
6) HoCL,WuWF,LiouYM.Dose‐responserelationshipofoutdoor exposure and myopia indicators: A systematic review and meta‐analysis of various research methods. Int J Environ Res Public Health. 2019;16:2595.
7) LancaC,TeoA,VivagandanA,HtoonHM,NajjarRP,SpiegelDP, et al. The effects of different outdoor environments, sunglasses and hats on light levels: Implications for myopia prevention. Transl Vis Sci Technol 2019;8:7.
8) Kochurova O, Portello JK, Rosenfield M. Is the 3× reading rule appropriate for computer users? Displays 2015;38:38‐43.