Anemia e os olhos: entenda a relação entre os dois

Durante o exame clínico geral, muitos pacientes me perguntam por que estou avaliando seus olhos. Quando respondo que o exame ocular pode me mostrar, dentre diversas outras coisas, se há algum tipo de anemia, por exemplo, todos ficam curiosos e questionam: “Doutora, existe relação entre anemia e os olhos?” A resposta é sim, os olhos podem nos fornecer informações muito importantes sobre o estado clínico de um paciente, inclusive se há algum tipo de anemia. 

A anemia é a deficiência nos níveis de uma molécula chamada hemoglobina, responsável pelo transporte de oxigênio para as células do corpo. A hemoglobina contém, em seu interior, átomos de ferro e fica localizada dentro das células vermelhas do sangue, os eritrócitos ou também chamados de hemácias. Essas células são discos bicôncavos, avermelhados, muito maleáveis, que se dobram para passar através dos menores capilares do corpo e apresentam vida média de 120 dias em indivíduos normais.

Figura 1: Hemácias normais com formato bicôncavo. (Fonte: https://pixabay.com/pt/illustrations/hem%C3%A1cia-sangue-humano-micro-5280112/)

Existem diversos tipos de anemia; alguns causados por deficiências nutricionais como, por exemplo, a anemia por carência de ferro (ferropriva) e/ou de vitaminas, e aquelas anemias com caráter genético, como a anemia falciforme ou as talassemias. O primeiro grupo leva à diminuição da produção das células vermelhas do sangue por falta de elementos necessários para sua formação; por exemplo, sem ferro, não há como produzir hemoglobina e, por isso, seus níveis diminuem dentro das células. 

No segundo grupo, o mecanismo que leva à anemia é a destruição precoce dos eritrócitos. A anemia falciforme é uma doença genética que causa alterações estruturais e funcionais na molécula da hemoglobina. Em condições de baixa concentração de oxigênio, febre e desidratação as moléculas de hemoglobina se agrupam (polimerizam) dentro do eritrócito alterando sua forma e deixando-o mais rígido e viscoso. Essas alterações fazem com que ocorram danos à superfície dos eritrócitos, sinalizando para as células de defesa do corpo 

que devem retirá-los de circulação rapidamente. Nas talassemias, por sua vez, ocorrem mutações no DNA que levam à diminuição na produção da hemoglobina, fazendo com que as hemácias fiquem com pouca quantidade dessa molécula

Figura 2: Hemácias com formato alterado “em foice” no paciente com anemia falciforme. (Fonte: https://pixnio.com/pt/ciencia/imagens-de-microscopia/paciente-falciforme-celula-anemia-hbss-sangue); https://pixnio.com/pt/ciencia/imagens-de-microscopia/foice-celula-doenca-herdar-dois-foice-celular-genes-um-pai)

De modo simplificado, a redução da quantidade de hemoglobina leva à diminuição da concentração de oxigênio transportado e o paciente com anemia pode experimentar sintomas como palidez de pele e mucosas, cansaço, falta de apetite, dor de cabeça, diminuição da visão, alterações na visão noturna, tontura, falta de ar, dor no peito, e desejo por comer coisas estranhas, como terra e gelo, por exemplo. Nas anemias causadas por destruição precoce e em massa das hemácias, como na anemia falciforme, pode ocorrer ainda um fenômeno chamado icterícia, que é a coloração amarelada de pele e mucosas, devido ao acúmulo de pigmentos biliares formados no processo de reciclagem das 

moléculas de hemoglobina no fígado. Assim, quando avaliamos os olhos de um paciente durante o exame clinico, estamos buscando alterações como palidez de mucosas ou amarelamento dos tecidos oculares, que podem nos indicar que o paciente pode estar anêmico.

Figura 3: Amarelamento da esclera em pacientes com icterícia. (Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Scleral_Icterus.jpg)

Outra pergunta frequente no consultório é se a anemia pode causar algum tipo de cegueira. A resposta para essa pergunta também é sim, e os mecanismos relacionados a essa condição são diversos. 

Alguns estudos revelam que os pacientes com anemia apresentam alterações na retina, uma fina película de tecido nervoso que fica dentro dos olhos e que é responsável por enviar as imagens que enxergamos para serem processadas em nosso cérebro. Na anemia, a retina pode apresentar-se mais afinada, com hemorragias e dilatação dos vasos sanguíneos. 

Acredita-se que nos pacientes com anemia ocorra diminuição da quantidade de oxigênio ofertada à retina, levando à dilatação dos vasos (na tentativa de tentar fazer mais sangue chegar a esse tecido) e, consequentemente, extravasamento de células do sangue, causando as hemorragias e a baixa de visão. Nos pacientes com deficiência de vitamina B12 associada, ainda pode ocorrer atrofia do nervo óptico, porém é algo raro, que ocorre em menos de 1% dos pacientes. 

A anemia por deficiência de ferro pode levar ainda a outras alterações no sangue como o aumento de plaquetas, chamado trombocitose, aumento da viscosidade do sangue e diminuição da deformabilidade das células, tonando-as menos maleáveis. Na anemia falciforme, a polimerização da hemoglobina dentro dos eritrócitos também os torna mais rígidos, dificultando sua passagem por pequenos vasos como, por exemplo, os vasos da retina. Todas essas modificações descritas fazem com o que o sangue dos pacientes com anemia fique mais viscoso podendo levar ao entupimento dos vasos retinianos, reduzindo drasticamente o suprimento de sangue e oxigênio para esse tecido tão nobre. O tecido da retina é muito sensível e ao ficar sem irrigação e sem oxigenação pode morrer facilmente, levando a cegueira súbita e, na maioria dos casos, irreversível. 

A boa notícia é que, após a identificação do tipo de anemia e a instituição do tratamento adequado, a maioria dos sintomas visuais experimentados tende a ser reversível. Entretanto, existem os casos que evoluem de modo dramático, rápido e irreversível. Por isso, ao experimentar algum dos sintomas explicitados nesse artigo, é importante procurar o seu médico de confiança. 

Referências Bibliográficas 

1) Ranganath M, Srinivasulu D, Poornima K, Anusha V. Nutritional anemia as a cause of reversible blindness. J NTR Univ Health Sci 2020;9:193-6 

2) Shah GY; Modi R. Anemic Retinopathy: case reports and disease features. Retina today. 2016; may-jun: 30-32. 

3) AlRyalat SA, Nawaiseh M, Aladwan B, Roto A, Alessa Z, Al-Omar A. Ocular Manifestations of Sickle Cell Disease: Signs, Symptoms and Complications. Ophthalmic Epidemiol. 2020 Aug;27(4):259-264. doi: 10.1080/09286586.2020.1723114. Epub 2020 Feb 3. PMID: 32013659.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.