Saúde ocular: pode ser considerada um benefício corporativo?

Os benefícios corporativos são ótimos recursos que o empresário pode lançar mão para fomentar não só o bem-estar e qualidade de vida de seus colaboradores, como também melhorar a relação empregador-funcionário. Além dos tradicionais e conhecidos vale-refeição e vale-alimentação, o vale-cultura, o auxílio educação, e hoje em dia, até o auxílio home-office, são algumas das múltiplas tendências de RH que têm tornado o ambiente de trabalho mais leve, e os funcionários mais estimulados. Isso é fundamental para um time coeso e, naturalmente, para o crescimento da empresa. 

Agora, diante a informatização dos processos e do crescente desenvolvimento tecnológico, estamos cada vez mais dependentes do uso do computador para desempenhar e agilizar as tarefas profissionais. Em alguns países, mais de 90% da população profissionalmente ativa utiliza a internet (lê-se: telas) como parte integral de seu trabalho1. No Brasil, dos 134 milhões de brasileiros com acesso à internet, 33% a utilizam para trabalhar, um número bastante significativo em termos absolutos. 

Não se pode negar: as telas têm sido cada vez mais frequentes no ambiente de trabalho, e a duração do seu uso cada vez mais prolongada, seja no escritório, seja no home-office. Em alguns casos, os funcionários saem da empresa e continuam seus afazeres em casa. Onde? No computador. São 8, 10, até 14 horas ou mais olhando para uma tela – às vezes vários dispositivos digitais diferentes ao mesmo tempo –, com poucas pausas, piscando poucas vezes, e naturalmente chegando ao final do dia com o famoso cansaço visual e o desconforto nos olhos. Pergunta quase retórica: você acha isso saudável? Obviamente não é. Estamos diante da prevalência cada vez maior da chamada síndrome da visão de computador (SVC), também chamada fadiga ocular digital ou cansaço visual digital. Esta condição oftalmológica vem sendo cada vez mais descrita pelas principais sociedades médicas do mundo, e é caracterizada por olhos avermelhados, irritados, associado a sensação de coceira, lacrimejamento, ardência, ressecamento, cansaço, hipersensibilidade à luz, pálpebras pesadas, dores na cabeça, na cervical ou nas costas, e até mesmo visão embaçada. Tudo isso piorando gradualmente ao longo de um dia inteiro de trabalho diante das telas (desktops, notebooks, smartphones, tablets e outros dispositivos eletrônicos de leitura). O leitor certamente sabe a que me refiro – a maioria de nós já sentiu alguns destes sintomas alguma(s) vez(es) na vida. 

De fato, as queixas de saúde mais frequentes entre os profissionais que trabalham com computador são relacionadas à visão. Conforme indicado pela empresa Seattle Times, 70% a 90% das pessoas que utilizam computador de maneira prolongada, seja para trabalho ou lazer, experimentam um ou mais dos sintomas típicos da SVC2. E quando nos referimos ao trabalho profissional, as pausas frequentes, a falta de foco, o embaçamento visual e o estresse causados pela SVC se traduzem em perda de produtividade. Conforme demonstrado por pesquisadores da Universidade do Alabama em Birmingham (UAB), há correlação direta entre saúde visual inadequada e a diminuição da produtividade. O tempo necessário para concluir as metas de trabalho no computador foi muito maior nos colaboradores que não estavam com seu exame oftalmológico em dia – uma perda de produtividade que chegou a quase 30% em alguns casos3. No âmbito global, problemas visuais causaram um prejuízo estimado de 410 bilhões de dólares em 2020, de acordo com o estudo publicado pela respeitada The Lancet Global Health Comission4

Sem dúvidas, promover programas que beneficiem a saúde dos funcionários tornou-se peça-chave para o crescimento de uma empresa e o cuidado com a saúde ocular não pode ficar de lado. Inclusive problemas posturais musculoesqueléticos – aquela dor no pescoço e nas costas, que exige às vezes pausas prolongadas ou mesmo compromete a atenção na realização da tarefa –, muitas vezes associados à SVC, podem ser minimizados ou até eliminados ao se implementar na empresa programas que cuidem da saúde ocular de forma integral. 

Neste contexto, a Eyecare Health oferece um produto que busca auxiliar diretamente as empresas na luta contra essa verdadeira epidemia ocupacional do século 21. É o Benefício Visão (BV). Neste programa, oferecemos para os colaboradores das empresas um atendimento oftalmológico integral, feito por médicos formados pelas maiores instituições de ensino do país e utilizando equipamentos de última geração. E o melhor: o colaborador não precisa sair do seu ambiente de trabalho. Isso mesmo: a Eyecare leva até a empresa toda a infraestrutura necessária para a realização do exame oftalmológico. Dessa forma, não é mais necessário perder um turno inteiro de trabalho para ir ao oftalmologista. Poupa-se tempo, e garante-se um cuidado visual de qualidade. 

Além disso, esse benefício não dura um dia só: toda a empresa continua tendo acesso aos médicos da nossa equipe para atendimento e orientação através do nosso sistema de teleoftalmologia, uma verdadeira clínica oftalmológica digital que oferece um cuidado online-to-offline (O2O) único, além do nosso querido assistente virtual Glaucoâ, app disponível tanto para Android como para iOS. 

Em abril de 2022, quem se beneficiou de todo esse cuidado foi o Banco Modal. Foram mais de 1000 colaboradores cadastrados para os atendimentos tanto no Rio de Janeiro, como em São Paulo. Em duas semanas, a empresa garantiu a atualização do grau dos óculos de seus colaboradores, além do diagnóstico de eventuais doenças oculares até então desconhecidas. E como exposto acima, não foi um simples mutirão de atendimento. Nós cuidaremos de toda a jornada com a saúde visual da empresa pelo próximo ano, garantindo o rápido tratamento de quaisquer problemas oculares que venham a prejudicar tanto a qualidade de vida do colaborador, como sua produtividade e consequentemente o crescimento da empresa. Nosso compromisso é com a democratização do acesso ao cuidado oftalmológico de qualidade. 

Se você tiver interesse em saber mais sobre como levar o Benefício Visão para sua empresa, junto com nossos demais produtos, entre em contato conosco! Nosso time estará pronto para te ajudar e responder qualquer dúvida.

Dr. Rafael Lani Louzada, gerente médico da Eyecare Health, em atendimento oftalmológico aos colaboradores do Banco Modal no Rio de Janeiro.

Referências 

1. Rosenfield, M. & Mcoptom, M. R. Computer vision syndrome (a.k.a. digital eye strain). Optom. Pract. 17, 1–10 (2016). 

2. Brody, J. E. Blurry vision? Tear your eyes away from the computer | The Seattle Times. Available at: https://www.seattletimes.com/business/technology/tear-your-eyes-away-from-the-computer/. (Accessed: 7th May 2022) 

3. Daum, K. M. et al. Productivity associated with visual status of computer users. Optometry 75, 33–47 (2004). 

4. Burton, M. J. et al. The Lancet Global Health Commission on Global Eye Health: vision beyond 2020. Lancet Glob. Heal. 9, e489–e551 (2021).

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.